Defesensoria Pública do Estado de Mato Grosso

Notícias

Quarta, 15 Maio 2019 13:19 Última modificação em Quarta, 15 Maio 2019 15:42

Presos do CRC doam quadro e púlpito para unidades da Defensoria Pública de Mato Grosso

Escrito por  Márcia Oliveira

Os presos do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC) fizeram a doação de um púlpito e de um quadro para a Escola Superior e para a secretaria da Corregedoria-Geral da Defensoria Pública de Mato Grosso. O patrimônio foi entregue ao órgão pelo diretor do CRC, Winkler de Freitas Teles, ao corregedor-geral da DPMT, Márcio Dorilêo e ao diretor da escola, defensor público Roberto Vaz Curvo.

O diretor do CRC explica que ao tomar conhecimento da criação da Escola, pelo corregedor Márcio Dorilêo, teve a ideia de presentear a Instituição. Ele informa que para a confecção do púlpito, os presos usaram madeira de doação do Juizado Volante Ambiental e do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“Para os reeducandos esse é um tipo de ação que lhes faz bem, eles se sentem úteis e a nossa busca aqui é que eles saiam melhores do que entraram. O que objetivamos é a ressocialização. Dos que estão dentro do CRC, 80% trabalham e estudam. Alguns, fora do sistema. No total, 100 reeducandos deixam o local de manhã e voltam no fim do dia e sempre que alguém nos pede doações, buscamos atender”, explicou Teles.

Ele informa que dentro do CRC estão os presos por furto, roubo, violência contra mulher, crimes tidos como menos graves, e que lá, eles se ocupam em atividades de marcenaria, serralheria, na banda de música, na granja, na horta, em artesanato, entre outras.

“Eles produzem mesas, cadeiras, armários, casinhas de cachorro, trabalham na confeitaria, estudam e também participam de atividades religiosas. O nosso trabalho está baseado em três pilares, trabalho, estudo e religião, para recuperar e dar novos parâmetros para a vida dessas pessoas. E temos muito resultado, afirma o diretor”.

Pulpito e Quadro - INTERNA - 02Para o corregedor-geral é muito gratificante comprovar que os servidores do sistema penitenciário de Mato Grosso, mesmo com dificuldades, incentivam e desenvolvem atividades para a ressocialização das pessoas privadas de liberdade.

“A alegria é maior ainda quando nos deparamos com os produtos belíssimos desenvolvidos por esses reeducandos em processo de aprendizagem, lá eles exercitam e aprendem artes e novos ofícios. Tivemos a honra de receber o quadro e um púlpito feitos pelos reeducandos daquela unidade, cuja administração tem sido sempre referenciada como modelo em todo Estado”, concluiu Dorilêo.

Márcia Oliveira
Assessoria de Imprensa

Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso
Desenvolvido por:tiagodonatti.com